Foi publicado em 11 Dezembro de 2008 (ficou velha já a notícia) a nova versão do Web Content Accessibility Guidelines da World Wide Web Consortium (W3C).

O documento ja foi traduzido para o português do Brasil pelo Everaldo Bechara e pode ser acessado neste link: http://www.ilearn.com.br/TR/WCAG20/.

Gostaria claro de parabenizar o Professor Bechara pelo excelente trabalho e contribuição à comunidade.

Abaixo vou postar o resumo do documento:

Resumo

Recomendações de Acessibilidade para Conteúdo Web (WCAG) 2.0, abrange diversas recomendações com a finalidade de tornar o conteúdo Web mais acessível. Seguir essas recomendações irá tornar o conteúdo acessível para um amplo grupo de pessoas com deficiência, incluindo cegueira e baixa visão, surdez e baixa audição, dificuldades de aprendizagem, limitações cognitivas, limitações de movimentos, incapacidade de fala, fotosensibilidade e suas combinações. Seguindo essas recomendações também fará com que seu conteúdo Web fique mais acessível pelos usuários em geral.

Os critérios de sucesso do WCAG 2.0 são escritos como declarações testáveis, que não são especificamente tecnológicas. Orientações sobre satisfazer o critério de sucesso em tecnologias específicas, bem como informações gerais sobre interpretações das regras, são concedidas em documentos separados. Veja em Uma Visão Geral sobre o Guia de Acessibilidade para Conteúdo Web (WCAG) para uma introdução e links para material técnico e educacional do WCAG.

WCAG 2.0 sucede o Guia de Acessibilidade para Conteúdo Web [WCAG10], que foi publicado como uma Recomendação W3C em Maio de 1999. Embora seja possível estar em conformidade com a WCAG 1.0 ou com a WCAG 2.0 (ou ambos), o W3C recomenda que conteúdos novos e atualizações use o WCAG 2.0. O W3C também recomenda que políticas de acessibilidade na Web tenham como referência a WCAG 2.0.